A praga, que causa diversos problemas e doenças aos animais, agora pode ser combatida por seus próprios inimigos naturais em produto desenvolvido pela startup

A população de animais de estimação no Brasil conta com 55,1 milhões de cachorros, segundo o Instituto Pet Brasil. Esses números representam uma oportunidade para um problema que alguns animais – e seus donos – enfrentam com cada vez mais frequência: o carrapato. Diante desse cenário, a Decoy Smart Control, desenvolvedora de soluções biológicas para controle de pragas, criou uma forma alternativa e sustentável de contenção da praga. Usando fungos entomopatogênicos, o produto deve ser aplicado no ambiente em que o animal vive, já que a solução adere ao parasita e elas começam a crescer dentro dele, liberando toxinas e enzimas que levam o carrapato à morte.

De acordo com Lucas von Zuben, CEO da Decoy, a startup é a primeira empresa a levar o conceito de controle biológico para a área de saúde animal no mundo, uma vez que o setor geralmente costuma disponibilizar apenas soluções químicas. O empreendedor explica ainda que o método se aproveita de relações pré-existentes na natureza e dispensa o uso de agentes químicos agressivos. “O Decoy Pet conta com uma formulação refinada, que pode ser aplicada nas casas. Depois de muitos testes, chegamos a uma formulação estratégica e que trouxe resultados excelentes”, conta.

A embalagem da solução, com 200ml, contém uma formulação oleosa biotecnológica, produzida à base de produtos naturais e que pode ser aplicada em ambientes internos sem nenhum problema – não mancha e não apresenta cheiro. “O dono, então, faz a diluição desse produto, que é concentrado, de acordo com a área a ser aplicada. Deve ser borrifado nos locais onde o animal mais fica, como caminha, casinha, tapetes, ou qualquer outro lugar úmido e escuro próximo ao pet”, explica o executivo.

Segundo von Zuben, os compostos do produto não causam dano à saúde do animal – químicos causam danos nos fígados e outros órgãos dos pets, podendo levar à morte -, nem a quem aplica, e não tem risco de contaminação ambiental. “A solução biológica não gera carrapatos resistentes. A aplicação é feita de forma estratégica, no ambiente, onde estão 95% dos carrapatos, e onde os mesmos passam mais de 90% do tempo de vida. Desse modo, a residência como um todo fica livre dos carrapatos”, destaca.

Enquanto aguarda o registro do produto, a Decoy estabeleceu um programa de parcerias com donos de pets. “Disponibilizamos as soluções e eles fornecem informações sobre o tratamento, além de uma ajuda de custo para o desenvolvimento das pesquisas”, conta von Zuben. “Temos dois planos, de acordo com o tamanho da área. Ambos têm duração de 3 meses”, completa.

O Brasil, com suas temperaturas elevadas e umidade alta, apresenta as condições ideais para que essa praga se prolifere – especialmente em cães. O parasita é um vetor de diversos patógenos, e transmite doenças como a do carrapato e babesiose, problemas no sangue e em diversos órgãos – podendo levar o animal a óbito -, e febre maculosa. Além disso, o pet parasitado fica estressado, não se alimenta direito e fica debilitado.

Mercado em expansão

Em 2020, ano em que a economia brasileira encolheu ao menos 4%, o setor pet teve um crescimento de 13,5% em relação a 2019, com faturamento acima de R$ 40 bilhões. “O mercado de pet no Brasil é um dos maiores do mundo e a tendência de produtos naturais e menos agressivos aos animais e ao ambiente é notória”, pontua von Zuben.

“Temos grandes expectativas com essa tecnologia. Uma vez com o registro, vamos investir em estrutura e atendimento para tornar essa solução o carro chefe da Decoy, dado o volume do mercado”, comenta o executivo. “Esperamos conseguir ofertar um produto que resolva o problema dos carrapatos para todos os perfis de consumidores, sem agredir o pet”, finaliza.

Outros projetos

Com projetos consolidados no setor de agronegócios por meio de soluções para combate do carrapato-do-boi, a Decoy também tem investido nas tecnologias para os mercados de avicultura e apicultura, além de soluções para combate da cigarrinha. Hoje, a startup tem parceria com mais de mil produtores, de todos os estados do país – com foco para Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais -, e já usou suas soluções em 100 mil animais.

Para von Zuben, o mercado de controle biológico está em plena expansão no Brasil, e é possível observar, ano a ano, um crescimento a taxas expressivas desse segmento. “Para se ter uma ideia, estima-se que o mercado de controle biológico movimentou quase 1 bilhão de reais na safra 19/20, um crescimento de 46% em comparação com o ano anterior. Apesar disso, quando comparado ao mercado total de defensivos, o controle biológico ainda representa apenas 2%. Ou seja, existe muito espaço para crescimento em um mercado que é bilionário”, destaca.

Como consequência, o executivo explica que é possível observar uma intensa movimentação das empresas já estabelecidas para se posicionar nesse novo mercado, com diversas multinacionais comprando empresas menores, por exemplo. “Também há uma movimentação governamental, com o lançamento do Programa Nacional de Bioinsumos, que visa facilitar e promover o uso do controle biológico”, ressalta. “Todo esse contexto aponta para um cenário muito positivo para o setor, indicando uma tendência de aumento para a adoção dessa tecnologia”, completa.

Segundo o CEO da Decoy, o potencial que o controle biológico oferece é relevante, e o objetivo da startup é tornar essa ferramenta uma realidade para a saúde animal. “Queremos ser exemplos de respeito ao meio ambiente, mostrando um caminho mais inteligente e correto às empresas”, conclui.

Sobre a Decoy

A Decoy é uma startup brasileira de biotecnologia focada na pesquisa e no desenvolvimento de produtos para o controle de pragas em animais de produção. A partir do conhecimento adquirido no universo acadêmico, a empresa encontrou uma forma muito mais eficaz de controlar pragas, de forma biológica, precisamente estratégica e natural. A Decoy é a primeira empresa a levar a inteligência do controle biológico para a área de saúde animal. Suas soluções utilizam conceitos de equilíbrio e manejo integrados, dispensando o uso de agrotóxicos, proporcionando um controle mais efetivo e ecologicamente adequado. Localizada em Ribeirão Preto, no estado de São Paulo, polo de inovação para o setor agropecuário, a startup conta com um ambiente extremamente favorável à geração de novas descobertas e soluções inteligentes para o mercado.

Ana Bittar
Jornalista MTB: 0084520/SP
contato@portalpetnews.com.br
Instagram: @portalpetnews_

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui